POLIPECTOMIA E SINUSECTOMIA

Princípios e indicações

Sinusite é a infecção existente nas cavidades ósseas (sinus) que existem em torno das cavidades nasais (maxilares, etmoidais, frontais e esfenoidais). Quando esta infecção ou comprometimento persiste, e resiste aos tratamentos clínicos, é considerada crônica, e pode-se indicar o tratamento clinico é considerado o tratamento cirúrgico.

Pólipo nasal é uma massa gelatinosa ou fibrosa, que desenvolve-se na cavidade nasal ou nos seios paranasais, podendo ser único ou múltiplos, geralmente associado a quadro alérgico.

Tais cirurgias (polipectomia ou sinusectomia ou sinusotomia) incluem várias indicações, técnicas, acessos e instrumentos, podendo ser realizadas por acesso direto (a céu aberto), e com emprego de materiais convencionais (pinças, bisturis e tesouras), bisturis elétricos, eletrônicos, endoscópios, microscópio e LASER.

A região abordada é extremamente complexa, com artérias, veias, próxima à órbita e à meninge, de acesso difícil e sujeita a freqüentes variações anatômicas. Trata-se de uma cirurgia exploradora, ou seja, é impossível se prever exatamente quais alterações serão encontradas e, portanto, muitas decisões podem e devem ser tomadas durante a cirurgia, sem que seja possível solicitar o consentimento específico para proceder aos tratamentos necessários, constituindo os vários fatores que podem impedir que o resultado final seja o esperado e desejado.

Após a cirurgia poderão ocorrer:

DOR: é comum no pós-operatório, de intensidade média e de fácil controle.

HEMORRAGIA: representa um risco importante nestas cirurgias. Os casos mais sérios podem necessitar transfusão sanguínea e até re-intervenção cirúrgica. Hemorragias fulminantes são raras, porém descritas na literatura médica.

FÍSTULA LIQUÓRICA: é relativamente rara, mas pode ocorrer, necessitando geralmente de nova intervenção cirúrgica para o seu fechamento.

MENINGITE: é raros mas, pode ocorrer quando as meninges são atingidas ou expostas.

ABSCESSO CEREBRAL e EXTRA-DURAL, e TROMBOSE DOS SEIOS CAVERNOSOS: são raros, em ocorrendo, são extremamente graves, com alta mortalidade.